Amor em Declínio- XI Capítulo

22:07 Ana Caroline Carvalho do Nascimento 0 Comentarios



 XI Capítulo



Por meio minuto a cozinha silenciou, e tomados pelo susto da pergunta do vovô,  reperguntaram Liz, Marcos e Srª Sanny todos aos mesmo tempo:

- O quê?

E o vovô que já andava desconfiado das atitudes de Marcos, reafirmou a pergunta em alto tom:

-Essa aproximação de Marcos por trás de Liz, Sanny!

Então prontamente Srª Sanny respondeu enquanto Marcos estava totalmente perdido e Liz desconfiada arrumando sua roupa.

- Ah, papai... o Marcos está auxiliando Liz a preparar o jantar. Esqueceu do que havíamos combinado mais cedo? Srª Sanny ria ironiamente.

O vovô se perdeu nas palavras que iria dizer quando Marcos afirmou:
- Eu estava apenas ensinando a Liz como cortar verduras de maneira mais simples, antes que uma catástrofe acontecesse.

A srª Sanny ria assoberbadamente, até Marcos terminar:

- O que se passava em sua mente, vovô?

Srº Dálio não deu importância para a pergunta de Marcos dando a entender que ainda não se sentia convencido, então resolveu ouvir sua neta perguntando-lhe:

- Isso é verdade, Liz?

A garota fragilizada não tinha como falar a verdade então confirmou o que Marcos havia dito.
E assim todos deixaram a cozinha com uma última frase da srª Sanny que completamente iludida, ironizou:

- Depois que chegamos a certa idade, desconfiamos de tudo e todos. O papai já está caducando. Completou com mais risos.

Liz não imaginou que pudesse viver tantas coisas ruins na sua vida como as que estava passando. Olhava ao redor e não encontrava ninguém pelo qual pudesse ajudá-la, se sentia vazia, isolada e sem sentido. Não sabia ela a verdadeira essência do coração humano.
Até que seu celular tocou... o número dele ainda não estava salvo com o devido nome mas ela sabia que era o Renato. Marcos como sempre, adiantado, perguntou se a mesma não iria atender.

Então assim o fez:

- Oi, Renato! Tudo bem?

- Oi, Liz! Como é bom poder ouvir sua voz de novo! Gostaria de lhe fazer um convite! Sei que é meio em cima da hora, mas preciso saber se você aceita ir à igreja comigo. Se você aceitar, passo em sua casa em uma hora. E aí?

Liz só fazia rir enquanto Renato falava. Nem pensou, respondeu sim!

Estava pronta para ter horas agradáveis com quem sua alma ultimamente se sentia ultimamente e unicamente em paz e em pleno alívio.  

Continua...

0 comentários:

Postagem mais recente Página inicial Postagem mais antiga