7 Meses de Namoro- O dia em que me apaixonei por você

21:46 Ana Caroline Carvalho do Nascimento 1 Comentarios




Na virada de ano eu fechei meus olhos e enquanto os fogos barulhentos iluminavam o céu, fiz um único desejo. Não pedi dinheiro, não pedi viagem e também não pedi sucesso. Pedi uma boa companhia pra estar ao meu lado enquanto batalho e conquisto aos pouquinhos cada uma dessas coisas. Não pedi um amor pra exibir e provar pra todo mundo que eu ainda tenho um coração. Pedi alguém que fizesse minhas músicas preferidas terem um pouquinho mais de sentido quando as escuto antes de dormir.
Não pedi um amor pesado que me fizesse entrar num labirinto como da última vez. Não queria um código perfeito para o meu trabalho, muito pelo contrário, queria alguém que me fizesse esquecer dele durante alguns dias da semana. Pedi um novo personagem pra minha história, sabe? Um novo capítulo com novos aromas, risadas e erros. Alguém realmente interessado no que sou, não no que posso vir a proporcionar. Nem tão superficial, nem tão profundo assim. Nem tão experiente, nem tão imaturo. Um cara com boas histórias, mas sem um passado que me deixe meio invisível na maior parte do tempo.
Desejei alguém pra mandar aqueles vídeos fofos de cachorro que encontro na internet ou sei lá, mostrar o quanto eu cresço a cada dia. Alguém que enxergasse a vida de um jeito meio parecido que o meu ou alguém que me fizesse mudar completamente de ideia. Alguém pra celebrar o verão comigo e fazer a tradicional contagem regressiva pro inverno chegar.
Todos ainda estavam gritando e se abraçando quando abri os olhos pela primeira vez em 2015. Era ótimo estar perto dos meus familiares, mas confesso que senti uma pontadinha de angústia quase sufocante. Olhei pra fora para tentar disfarçar e pensar em outras coisas. A vista para os fogos de artifícios era ainda mais bonita quanto no ano anterior. Casa apertadinha para caber todas as pessoas que assim como eu decidiram em algum momento da vida que viver aqui era a melhor opção. Provavelmente a maioria delas vive se questionando se foi ou não uma boa ideia. Até como eu, encontrarem um sentido especial para viver, o verdadeiro amor.
Seria legal se elas se encontrassem.

Assim como eu o encontrei, assim como vivi com ele o verão mais abençoado de nossas vidas, rodeados de sol, mar, leveza e harmonia... passei a me sentir completa e ainda mais feliz quando selamos nosso relacionamento diante de nossos familiares e principalmente de Deus. No dia 18 de Janeiro, no doce e quente 18 de Janeiro. 
E hoje faz sete meses que o dia 18 se multiplica, se repete... não só em nossas vidas, mas perante o mundo pelo qual escolhemos testemunhar nosso amor. Esse "amor que se fez", que se faz... e que veio pra ficar.

Um comentário:

Postagem mais recente Página inicial Postagem mais antiga